Suspeito de duplo homicídio em Acaraú havia recebido medida protetiva 72h antes

Imagem de divulgação da Web

O suspeito pelo crime, identificado como Valdian de Sousa Melgaço, de 29 anos, tinha sido denunciado à Polícia por violência doméstica dias antes de matar a ex-companheira de 24 anos, e a mãe dela de 47 anos, em Acaraú, no litoral do Ceará. Ele teria invadido a residência dos pais da enfermeira, no domingo, e com uma faca acertou Kelry Veríssimo, a ex-sogra Maria de Jesus e ainda feriu o ex-sogro. Cerca de três dias antes do crime, a Justiça havia concedido medida protetiva, que o proibia de se aproximar da ex-companheira.

Kelry e Melgaço tinham dois filhos, de 4 e 6 anos. Ela estava morando com os pais e as crianças no bairro de Cauassu, após se separar de Valdian. Durante a madrugada, o homem pulou o muro, invadiu a casa da família e atacou a jovem no quarto em que ela dormia com uma das filhas. A mãe dela e o pai tentaram defender a filha, mas também foram atingidos pelo homem.

Mãe e filha foram socorridas, mas não resistiram aos ferimentos. Já o pai dela está internado. Na delegacia, o homem teria alegado que ficou revoltado por sua ex-companheira e sua ex-sogra terem procurado a Polícia Civil do Ceará (PCCE) para denunciar violência doméstica e pedir medidas protetivas a Kelry Maria, fato que tomou conhecimento ao ser notificado pela Justiça. Na noite anterior ao crime, ele fez uso de bebida alcoólica e ainda confessou ser usuário de cocaína.

A mulher era enfermeira e a mãe dela, professora, da rede municipal de Acaraú. A Prefeitura do Município lamentou as mortes e decretou luto de três dias, nas redes sociais. O ex-companheiro da jovem, foi preso. Segundo a polícia, ele já tinha antecedentes criminais por lesão corporal dolosa.

Fonte: https://gcmais.com.br/

Zeudir Queiroz