Padre Lino fala após ameaças recebidas por fiéis durante missa: “disseram que era para eu voltar para a Itália”

Padre Lino

Um inquérito foi instaurado no 2º Distrito Policial para apurar as agressões contra o padre Lino Allegri, hostilizado por fiéis da Igreja da Paz, em Fortaleza. A Polícia Civil do Ceará (PC-CE) já teve acesso as imagens das câmeras de segurança da igreja, na tentativa de identificar os envolvidos nos insultos. A polícia informou que testemunhas já estão sendo ouvidas.  Desde então, por orientação de amigos, padre Lino não celebrou mais na Paróquia da Paz.

O episódio envolvendo o religioso ocorreu no último dia 4 de julho, na celebração da manhã. Segundo padre Lino, as agressões verbais teriam acontecido porque ele usou do evangelho para falar do momento de pandemia vivido  no país. Então, alguns fiéis de opiniões contrárias ao do sacerdote, não gostaram e invadiram a sacristia para tomar satisfação.

Padre Lino é italiano, tem cinquenta e seis anos de vida sacerdotal e chegou ao Brasil em 1970, mas só veio morar no Ceará 20 anos depois. Diante da repercussão , inclusive nacional do caso,  o padre tem recebido muitas mensagens de apoio e solidariedade.

No total já foram três ataques acompanhados de manifestações por parte dos fiéis durante as celebrações. Sendo última registrada no último domingo, dia dezoito de julho, onde a polícia ficou do lado de fora da igreja para garantir a ordem durante a missa. a defensoria pública do Ceará acompanha  o caso.

Nesta terça-feira (20), padre Lino recebeu a equipe da TV Cidade Fortaleza para uma entrevista exclusiva. Na conversa, o sacerdote relembrou as palavras que ouviu dos fiéis que o abordaram. “Chegaram aos gritos. Primeiro começaram a dizer que que não estavam nada de acordo comigo. Até aí, nada demais. Então, era bom que eu voltasse para a Itália. Que a aqui não precisavam de mim”, afirmou padre Lino.

Fonte: https://gcmais.com.br/