Turismo no Ceará cresce acima da média nacional

Em março de 2022, o índice de atividades turísticas apontou expansão de 5,3% frente ao mês imediatamente anterior. Na comparação março de 2022/março de 2021, o índice de atividades turísticas no Ceará apresentou crescimento de 109,6%.

Segundo a associação brasileira da indústria de hotéis no Ceará, ABIH-CE, em março do ano passado, ainda com muitas medidas restritivas em vigor por causa da pandemia, a ocupação dos hotéis no estado não passou dos 16%, já este ano chegou a 64%.

“O aumento foi expressivo por conta disso. Mas nós estamos no caminho da retomada, nós tivemos este ano janeiro e fevereiro já com patamares de ocupação similares aos de 2019, antes da pandemia”, diz Régis Medeiros, presidente da associação.

“A expectativa agora é ter uma ocupação superior ao período e antes da pandemia”, diz Beto Egydio, gerente comercial do Grupo Carmel.
“Estamos também atendendo a demanda represada da pandemia. Em maio estamos com diversos clientes contratados antes da pandemia”, comenta o empresário Fernando Diniz, sócio do hotel Gran Mareiro.
Alta temporada
A expectativa do setor para os próximos meses é muito positiva. “Existe uma demanda retraída muito grande durante esses dois anos, muita gente que está ávida por viajar e isso deve se refletir principalmente a partir de julho, alta temporada para frente”, acredita Régis Medeiros.
“A gente entra na temporada de vento, de sol aqui do Ceará, deveremos ter um movimento muito forte do kitesurf aqui no Ceará e isso se estende por todo segundo semestre, muito mais no litoral do que em Fortaleza”, explica o presidente da associação.

Tarifas e inflação
Um gargalo agora são as passagens aéreas, com aumento do preço do petróleo e consequentemente dos combustíveis, as passagens aéreas estão mais caras, “isso é um peso para essa retomada, pode atrapalhar um pouco” pontua Régis.
Ele diz ainda que a hotelaria sofreu muito durante a pandemia. “Houve aumento dos custos dos hotéis principalmente água, luz e todos os outros insumos e a gente não conseguiu repassar isso para as nossas tarifas, as tarifas estão defasadas”.

“As diárias médias reagiram, mas os custos também tiveram incremento expressivo”, diz o empresário Fernando Diniz.
Eventos e atrações
O presidente da associação de hotéis do Ceará lembra ainda que há uma expectativa pela retomada também dos eventos. “Vão voltar a acontecer, a exemplo do que está acontecendo em São Paulo, que já retornou com uma força muito grande a realização dos grandes eventos, nós vamos voltar até aqui os congressos, que também estão represados ao longo dos últimos anos”.

A percepção que estamos tendo é que o turismo de lazer já está em um patamar normal, apenas o turismo de eventos que ainda não atingiu a normalidade”, pontua Fernando Diniz.

O empresário Régis Medeiros lembra ainda que temos novas atrações para o turismo no Ceará, “aquela área na Estação João Felipe que é um equipamento interessante, o Museu da Imagem e do Som, a estrutura nova na Sabiaguaba com pontes e barcos para passeio, a Beira-Mar nova com a feirinha inaugurada, o pólo gastronômico da Varjota que já foi inaugurado há mais tempo. Temos uma cidade renovada com equipamentos e atrações turísticas. Temos que vender isso muito bem para ser cada vez um atrativo melhor como destino”, conclui.

Serviços
O setor de serviços também registrou crescimento. Em março de 2022, o volume de serviços no Ceará cresceu 4,0% frente a fevereiro, na série com ajuste sazonal, já no Brasil o volume de serviços cresceu 1,7% frente a fevereiro. Com esse resultado, que é a segunda alta consecutiva do indicador, o setor atingiu o maior patamar desde maio de 2015.
Em relação a março de 2021, o crescimento no Ceará foi de 17,2%, sendo a 12ª taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o volume de serviços no Estado avançou 15,2%. O acumulado nos últimos doze meses passou de 17,6% em fevereiro para 19,4% em março de 2022.
Na comparação com março de 2021, o volume do setor de serviços, ao avançar 17,2% em março de 2022, trouxe expansão em todas as cinco atividades. Entre os setores, o de Serviços prestados às famílias foi o que registrou o crescimento mais significativo, com alta de 107,4%.

Fonte: https://oestadoce.com.br/

Zeudir Queiroz