Transposição das águas do São Francisco será a solução para abastecimento no Ceará

O governador inaugurou novo equipamento da Funceme e disse que "rezaria" para que prognóstico da chuva fosse alterado ( FOTO: FABIANE DE PAULA )
O governador inaugurou novo equipamento da Funceme e disse que “rezaria” para que prognóstico da chuva fosse alterado ( FOTO: FABIANE DE PAULA )

O governador Camilo Santana afirmou, durante a inauguração de uma nova sala de monitoramento da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), que a preocupação do Estado agora é com as zonas urbanas. “Sempre enfrentamos problemas hídricos na área rural. O problema do Ceará agora é com as áreas urbanas dos municípios onde está concentrando 80% da população do Estado”, comparou.

O chefe do executivo ainda destacou que vai continuar “rezando” e torcendo, por mais que as previsões de chuvas não sejam boas. “A gente continua torcendo para acontecer um fenômeno que faça a diferença ao próprio prognóstico para garantir mais água”, ressalta.

Além da reza, o gestor também acredita que a transposição do rio São Francisco, aguardada para julho ou agosto, salve a Região Metropolitana de um colapso. “A transposição nesse período é a garantia e segurança de que Fortaleza e a Região Metropolitana não entre em colapso no abastecimento de água. A transposição também vai atender parte do Sertão Central, Cariri e Jaguaribe”.

Para Camilo Santana, os R$ 48 milhões repassados pelo Governo Federal para o combate a seca não são suficientes para acabar com o problema de abastecimento. No entanto, reconheceu que são valores importantes para novas obras, como a construção de adutoras. “Tem município que está tendo redução forçada pela própria necessidade e demanda de água. Então, o Estado vai continuar com as campanhas publicitárias nos meios de comunicação e escolas para evitar do desperdício”.

d

Alerta

O presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, alerta que os cearenses precisam se preparar para o pior. Segundo ele, o mês de março, em comparação com o mesmo período dos anos anteriores, tem chance de registrar chuvas a abaixo da média. Para ele, a nova sala – que foi inaugurada ontem- vai dar subsídios ao servidores para análise e controle das precipitações, podendo prever o abastecimento dos açudes.

A grande novidade da nova Sala de Monitoramento e Previsão de Tempo e Clima na Funceme é o “video wall” com 12 monitores, que juntos formam uma imensa tela para acompanhamento integrado em tempo real dos vários sistemas monitorados diariamente pelos meteorologistas do órgão. A estrutura foi adquirida com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Prognóstico

Com o novo equipamento, a percepção e análise das imagens de satélites e da Rede Cearense de Radares será bastante otimizada. “Para se realizar boas políticas, precisa-se de um bom planejamento, diagnósticos e monitoramento. Desta forma, uma sala como esta é muito importante para que se tenha esses diagnósticos precisos e, assim, possamos traçar melhores estratégias hídricas para o Estado”, justificou o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira.

De acordo com o último prognóstico da Funceme, para março, abril e maio, há maior probabilidade na categoria de chuvas abaixo da média no Ceará. Há 70% de probabilidades de o Estado ter chuvas na categoria abaixo da média no próximo trimestre. As chances de haver precipitações na categoria em torno da média é de 25% e na categoria acima da média é 5%.

Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/

Zeudir Queiroz