Deputado opositor dos cassinos foi cassado por foto de cueca

Imagem de divulgação da Web

O colunista Ancelmo Gois revela no O Globo desta sexta-feira (16) que as roupas íntimas já rendem um capítulo à parte na política brasileira, não só servindo para esconder dinheiro sujo (literalmente, diga-se) — como foi o caso do senador Chico Rodrigues, vice-líder de Bolsonaro, e de um assessor do deputado petista José Guimarães. Há outros casos em que o contribuinte não foi, necessariamente, assaltado. A saber:

O Senado levou na brincadeira, em 2009, quando o então senador Eduardo Suplicy desfilou de cueca vermelha pelo Salão Azul do Congresso, atendendo a um pedido da apresentadora Sabrina Sato para um programa humorístico.

Já o deputado Barreto Pinto (1900-1972), famoso por ter lutado contra os cassinos e também por ter proposto o fechamento do PCB, passou para a História por ter sido o primeiro deputado cassado por decoro, ao se deixar fotografar de fraque e cueca samba-canção.

Em 27 de maio de 1949, tornou-se o primeiro deputado cassado por quebra de decoro parlamentar após deixar ser fotografado vestido de smoking e cuecas para a revista O Cruzeiro, em 1946. As fotos faziam parte de um ensaio intitulado “Barreto Pinto Sem Máscara”, e Barreto Pinto alegou ter sido enganado pelo jornalista David Nasser, com quem fez o acordo para a realização de uma reportagem sobre a presença dele na alta sociedade no Rio de Janeiro, pensando que seria fotografado apenas com a parte superior do corpo.

Fonte: https://bnldata.com.br/

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.