Defensoria Pública da União pede adiamento do Enem à Justiça

Ação argumenta que o momento é grave, por se tratar de uma “segunda onda de infecções” do novo coronavírus, quando não se tem segurança para estudantes e aplicadores do Enem

Ação vem em momento que entidades e estudantes têm se manifestado a favor do adiamento das provas (Foto: Marcello Casal /JrAgência Brasil)

Nesta sexta-feira, 8, a Defensoria Pública da União (DPU), solicitou à Justiça Federal de São Paulo o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, que está marcado para os próximos dias 17 e 24 de janeiro em sua modalidade presencial. Pedido em tutela de urgência se dá pelo aumento da casos da Covid-19 no Brasil, que nessa quinta-feira, 7, superou a marca dos 200 mil mortos pela doença.

“Não há maneira segura para a realização de um exame com quase seis milhões de estudantes neste momento, durante o novo pico de casos de Covid-19. A situação é nova, notadamente em razão de tratar-se de uma segunda onda de infecções”, argumentou João Paulo Dorini, defensor público que protocolou a solicitação. As informações são do portal Uol.

O defensor diz que o exame precisa ser adiado “até que possa ser feito de maneira segura, ou ao menos enquanto a situação não esteja tão periclitante quanto agora”. Ele ressalta ainda que o Governo Federal não oferece clareza nas suas providências contra o avanço do novo coronavírus e nem preocupação com a contaminação dos participantes do Enem e aplicadores.

Ação vem em momento que entidades e estudantes têm se manifestado a favor do adiamento das provas. Pelo Twitter, principalmente, a hashtag #AdiaEnem ficou entre os assuntos mais comentados na noite de segunda-feira, 4, e na manhã desta terça-feira, 5. A prova já foi adiada anteriormente em maio do ano passado.

Fonte: https://www.opovo.com.br/