Confronto entre feirantes e Guarda Municipal no Centro de Fortaleza deixa um morto e dois feridos

Foto: Natália Campos / GCC

O confronto entre feirantes e agentes da Guarda Municipal no Centro de Fortaleza, na madrugada desta quarta-feira (18), deixou um morto e dois feridos, segundo informações apuradas pela TV Cidade Fortaleza. O conflito começou por volta das 2h da madrugada e se estende até esta manhã.

Segundo informações apuradas no local, Nadson Abdnego, um feirante de 30 anos, foi atingido durante o confronto com a Guarda Municipal. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Instituto Doutor José Frota, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Um outro feirante também foi atingido, mas está com o quadro de saúde estável.

Em entrevista á repórter Natália Campos, da TV Cidade Fortaleza, a esposa de Nadson, Cristina, afirmou que estava com o marido no momento em que ele foi atingido pelos agentes de segurança.

“É muito revoltante, porque a gente saiu para trabalhar, a gente não saiu para roubar. A gente saiu com a intenção de levar alimento para casa, pagar as nossas contas. A gente não saiu com a intenção de afrontar eles. Fizemos tudo conversando direitinho e depois eles começaram a atirar contra os feirantes. Foi quando atingiu o meu marido”, afirma.

Segundo a esposa, Nadson saia, diariamente, às 22h para trabalhar na feira da José Avelino durante toda a madrugada. Além da mulher, o feirante deixou uma filha de cinco anos de idade.

“Estava tudo programado para ser uma feira comum, a gente não imaginava que ia ser uma tragédia dessas, que a gente ia sair e ele não ia voltar”, lamenta Cristina.

O confronto entre feirantes e Guarda Municipal nesta quarta-feira

Nesta manhã, por volta das 6h30, a equipe da TV Cidade Fortaleza esteve no local e conversou com Daniel Gerônimo, um dos feirantes que estavam no local desde o início do confronto. “A partir das 2h da manhã, a Guarda Municipal veio e pediu a retirada dos feirantes. A gente, em manifestação pacífica, pedimos, tentamos negociar. A Associação [dos feirantes da José Avelino] tentou negociar com eles, mas eles falam, o tempo todo, que é uma ordem lá de cima”, explica.

No último sábado (14), os agentes de segurança da Guarda Municipal já haviam entrado em confronto com os feirantes para impedir que a feira funcionasse. Segundo Daniel, a associação que representa os feirantes entrou em contato com parlamentares e secretários da Prefeitura para garantir o funcionamento normal do comércio.

“Essa operação aqui [desta quarta-feira], nenhum deles está sabendo. O Secretário do Centro não está sabendo. Quando foi hoje, a gente pediu uma trégua, um horário para trabalhar das 22h até às 7h da manhã. E a gente ficou no aguardo da resposta da parte deles, se a gente ia trabalhar ou não, se ele ia trabalhar ou não”, disse o feirante. “Quando foi às 2h da manhã, a Guarda Municipal, com um aparato muito forte, muito bem preparado, vieram e eles atacaram os feirantes. Os feirantes estavam de ordem pacífica, iam fazer manifestações. E eles [os guardas municipais] dispararam bombas de efeito moral”.

Fonte: https://gcmais.com.br/