Ceará: recomendação de uso de máscaras vale principalmente para escolas

Modelo de máscara do tipo N95. Foto: Governo do Estado.

A governadora do Ceará, Izolda Cela, informou sobre a recomendação do uso de máscaras em locais fechados em todo o estado, especialmente escolas. O anúncio veio após uma reunião com o comitê estadual de enfrentamento à pandemia, nesta sexta-feira (10).

Segundo Izolda, os números têm mostrado aumento da positividade de casos da Covid-19 no Ceará, embora não haja aumento na quantidade de internações nem de óbitos. Ela também reforçou a importância de cuidados pessoais e da vacinação.

“O comitê decidiu por recomendar a volta do uso de máscaras em locais fechados, especialmente em escolas, e também em ambientes abertos com aglomeração.”

Trata-se de uma medida não obrigatória, é apenas uma recomendação e um alerta para a população com o objetivo de barrar uma nova onda da doença.

O uso de máscaras foi flexibilizado em todos os ambientes no Ceará desde 15 de abril, inclusive em escolas. Com as aulas presenciais de volta em todo o estado, gerando aglomerações em ambientes fechados, o uso do item de segurança passa a ser recomendado principalmente nesses locais.

Máscaras deveriam ser mantidas em ambientes fechados, diz especialista

Idosos e imunossuprimidos devem manter o uso de máscara como proteção contra a covid-19, mesmo em cidades onde não há mais obrigatoriedade. O alerta é do professor do Departamento de Biologia Celular da Universidade de Brasília (UnB), Bergmann Morais Ribeiro.

“Na minha opinião, ainda não é o momento de liberar o uso de máscaras em ambientes fechados. Como o número de transmissões e mortes está diminuindo ao longo do tempo, a liberação em espaços abertos é algo natural. Mas, ainda não é o momento para espaços fechados. A variante Ômicron é muito transmissível e há pessoas imunossuprimidas ou idosos que, se pegarem o vírus, mesmo vacinados, correm o risco de ser hospitalizados e ter a doença de forma grave”, disse. Para o professor, a liberação em espaços fechado deveria estar vinculada à queda do número de mortes por covid-19.

Fonte: https://gcmais.com.br/

Zeudir Queiroz