Conselho de Medicina Veterinária alerta para risco de extinção de animais da fauna cearense

 

Imagem de divulgação da web

Nesta terça-feira (10), o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-CE) fez alertas sobre o risco de extinção de animais da fauna cearense. Os dados foram divulgados pelo programa Cientista-Chefe, da Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema). Segundo o levantamento 126 animais da fauna cearense foram extintos do estado. Dentre eles, a onça pintada, queixada, tamanduá bandeira, anta e as populações nativas do bicho preguiça.

“O CRMV-CE reforça a importância do equilíbrio entre as práticas que promovem o bem-estar do homem, dos animais e meio ambiente. Existe uma interdependência entre as espécies e, quando desequilibramos essas relações, podemos ter reflexos nos micro e macro ambientes, inclusive levando a extinção de animais e causando danos diretos também aos seres humanos” , declarou o Presidente do CRMV-CE, Francisco Atualpa.

O Gestor ainda reforçou a necessidade de políticas públicas que coloquem os animais e o meio ambiente em grau de importância para a promoção da Saúde Única.

“Apesar de o ser humano ser visto com prioridade, o poder público precisa ter políticas públicas mais efetivas, com maior combate aos processos que causam os desequilíbrios à nossa fauna e flora. Deve, por exemplo, inibir práticas de contrabando, de invasão às áreas selvagens, contratar profissionais médicos-veterinários, únicos habilitados para lidar com a clínica, diagnóstico e com a temática completa de forma profunda, para atualizar suas políticas públicas e implementá-las no dia a dia”, completou.

Diversas são as causas que levam a extinção de animais, como a destruição dos habitats silvestres, mudanças climáticas, caça e tráfico ilegal, fenômenos demográficos estimulados, ou não pelos seres humanos, entre outros.

Fonte: https://cn7.com.br/

 

Zeudir Queiroz