Novembro Azul alerta para o câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens

Foto: Reprodução/Pixabay

O mês de novembro inicia fazendo um alerta para a saúde masculina. A campanha Novembro Azul tem como objetivo promover a conscientização sobre os cuidados com a saúde do homem. Durante o mês inteiro será possível ver diversos prédios e monumentos históricos iluminados de azul. O foco é chamar a atenção para o movimento global de conscientização no combate ao câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens.

De acordo com o INCA – Instituto Nacional do Câncer – a estimativa é de que, até o ano passado, foram estimados quase 66 mil novos casos da doença, com o número de óbitos podendo chegar a quase 16 mil.

“Assim como em outros tumores, o diagnóstico precoce do câncer de próstata, em estágios iniciais, terá repercussões em maiores taxas de cura e melhores sobrevidas. Por isso a importância da conscientização e prevenção da campanha do Novembro Azul”, diz Dr. Adriano Saboia, oncologia da Oncovie.

Mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade. Segundo o INCA, 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Ainda de acordo com o Instituto, o crescimento da incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos exames, pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Fica localizada abaixo da bexiga e tem como principal função, juntamente com as vesículas seminais, produzir o esperma.

Sintomas

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas. Quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já se encontram em fase avançada, o que pode dificultar o tratamento e cura da doença. Na fase avançada, os sintomas são:

• dor óssea;

• dores ao urinar;

• vontade de urinar com frequência;

• presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Fatores de risco

Alguns fatores de risco são importantes para justificar o aparecimento do câncer de próstata. O primeiro deles está relacionado a idade do paciente. Ter histórico familiar de câncer de próstata também deve ser levado em consideração. Segundo pesquisas, os homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer. Por fim, segundo especialistas, a obesidade é um fator importante que pode contribuir para o aparecimento da doença.

Prevenção e tratamento:

O diagnóstico precoce continua sendo, de acordo com os especialistas, o melhor tratamento para o câncer de próstata. Mesmo sem a presença de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Em torno de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames, como biópsias, podem ser necessários a depender do caso.

O tratamento do câncer de próstata leva em consideração a classificação de risco, que inclui o estadiamento do tumor, os valores de PSA e, também, a classificação patológica. Nos últimos anos, temos percebido um grande avanço nos tratamentos com novas técnicas cirúrgicas, de radioterapia, novos exames de imagem, medicina nuclear, novos medicamentos hormonais, etc. O tratamento pode ser feito com uma dessas modalidades ou com a combinação delas.

Por isso a importância do rastreio para homens entre 50 e 70 anos na população geral com exame de toque e PSA; e nos pacientes que têm fatores de risco ou histórico familiar, a gente orienta que essa investigação seja feita o mais precocemente aos 45 anos”, explica Dr. Adriano Saboia.

Fonte: https://oestadoce.com.br/

Zeudir Queiroz