Acusação pede prisão de Flordelis após cassação de mandato

O advogado representante da família do pastor Anderson do Carmo protocolou imediatamente após a cassação um pedido de prisão preventiva contra a parlamentar. No entanto, a decisão da Câmara terá validade ao ser publicada nesta quinta-feira (12/08).

(crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Após a aprovação da cassação da deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) pela Câmara nesta quarta-feira (11/08), o advogado Ângelo Máximo, representante da família do pastor Anderson do Carmo protocolou imediatamente um pedido de prisão preventiva contra a parlamentar. Outros seis suspeitos do crime, já se encontram presos.

Ela é acusada de mandar matar o pastor, seu marido. Com a cassação, decidida de forma acachapante por 437 votos a 7, a parlamentar perdeu o mandato e a imunidade parlamentar. Ela vinha fazendo uso de tornozeleira eletrônica, desde o ano passado e ficará inelegível por determinação da Lei da Ficha Limpa. Em seu lugar, assume o suplente Jones Moura (PSD). A decisão deverá ser publicada nesta quinta-feira (12/08).

O pastor foi assassinado no dia 16 de junho de 2019 na porta de casa, no Rio de Janeiro. Ela nega ter participação no crime. O casal havia conquistado notoriedade por ter criado 55 filhos, a maioria adotada.
Ela é ré na Justiça e responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

A cassação do mandato de Flordelis já havia sido aprovada pelo Conselho de Ética da Câmara em junho, mas a palavra final coube à Câmara.

Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/