Prefeitos eleitos do Cariri realizam encontro na Diocese do Crato

prefeitos-do-caririO bispo coadjutor, Dom Gilberto Pastana, recepcionou, em Crato, no auditório do Colégio Pequeno Principe vinte e dois, dos trinta e dois prefeitos eleitos nos munícios que compõem a Diocese do Crato. O   principal assunto discutido durante o encontro com os novos gestores  foram as propostas de trabalho da gestão de cada prefeito para o quadriênio 2017 – 2020.

“Vamos trabalhar pela organização e participação popular, dos sindicatos, associações e cooperativas”, pediu o bispo. “Que as obras, os planos não sejam de interesse particular, mas de interesse coletivo. E é fundamental que a relação executivo com o legislativo seja também transparente. Não se deixem dobrar pelos interesses, sobretudo, corporativos. Levantem essa bandeira. Eu vos peço: sejam bastante honestos neste sentido”, acrescentou.

Entre as sugestões para ajudar à atuação dos gestores, Dom Gilberto apresentou um balanço do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios, que leva em conta a expectativa de vida, a educação e a renda. E de acordo com o relatório entregue, em 2010 as cidades avançaram de forma significativa se comparada aos anos 2000, mas estão longe de apresentarem dados satisfatórios, o que demonstra ainda dificuldades no acesso a serviços de saúde, à escola e à renda para consumo. Por isso conclamou a todos para priorizarem os avanços no IDH, contanto, sempre, com o apoio da Igreja.

É desejo do bispo coadjutor, além disso, realizar outros encontros, mas a nível de Forania, isto é, com os prefeitos das cidades próximas territorialmente, de modo a fomentar uma “consciência cidadã” na Igreja e também na sociedade.

Para Dom Gilberto pastana, o encontro com os prefeitos foi “bastante positivo”, sobretudo, pela exposição das propostas de cada um. A partir delas, disse o bispo, a comunidade pode acompanhar e fiscalizar a execução dos planos de governo.

Outro ponto ressaltado está nas parcerias já existentes, tais como os projetos de Cisternas desenvolvidos pela Cáritas Diocesana, para o enfrentamento da escassez de água em alguns municípios, e a Fazenda da Esperança, em Mauriti, no acompanhamento de dependentes químicos. O bispo coadjutor também acredita na possibilidade de convênios com as prefeituras para que estas parcerias possam crescer ainda mais.

O encontro com os prefeitos também contou com a participação de padres, religiosas e agentes de pastorais que, na ocasião, tiveram espaço para apresentar suas reivindicações, entre elas o enfrentamento às drogas e à AIDS, o combate à violência contra a mulher, o saneamento ambiental, à coleta seletiva, dentre outros temas.

As cidades participantes foram Abaiara, Assaré, Barbalha, Brejo Santo, Campos Sales, Caririaçu, Crato, Farias Brito, Granjeiro, Ipaumirim, Jardim, Jati, Juazeiro do Norte, Mauriti, Milagres, Nova Olinda, Penaforte, Porteiras, Potengi, Salitre, Santana do Cariri e Tarrafas. ( com informações do jornalista Amaury Alencar)

O bispo coadjutor, Dom Gilberto Pastana, recepcionou, em Crato, no auditório do Colégio Pequeno Principe vinte e dois, dos trinta e dois prefeitos eleitos nos munícios que compõem a Diocese do Crato. O   principal assunto discutido durante o encontro com os novos gestores  foram as propostas de trabalho da gestão de cada prefeito para o quadriênio 2017 – 2020.

“Vamos trabalhar pela organização e participação popular, dos sindicatos, associações e cooperativas”, pediu o bispo. “Que as obras, os planos não sejam de interesse particular, mas de interesse coletivo. E é fundamental que a relação executivo com o legislativo seja também transparente. Não se deixem dobrar pelos interesses, sobretudo, corporativos. Levantem essa bandeira. Eu vos peço: sejam bastante honestos neste sentido”, acrescentou.

Entre as sugestões para ajudar à atuação dos gestores, Dom Gilberto apresentou um balanço do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios, que leva em conta a expectativa de vida, a educação e a renda. E de acordo com o relatório entregue, em 2010 as cidades avançaram de forma significativa se comparada aos anos 2000, mas estão longe de apresentarem dados satisfatórios, o que demonstra ainda dificuldades no acesso a serviços de saúde, à escola e à renda para consumo. Por isso conclamou a todos para priorizarem os avanços no IDH, contanto, sempre, com o apoio da Igreja.

É desejo do bispo coadjutor, além disso, realizar outros encontros, mas a nível de Forania, isto é, com os prefeitos das cidades próximas territorialmente, de modo a fomentar uma “consciência cidadã” na Igreja e também na sociedade.

Para Dom Gilberto pastana, o encontro com os prefeitos foi “bastante positivo”, sobretudo, pela exposição das propostas de cada um. A partir delas, disse o bispo, a comunidade pode acompanhar e fiscalizar a execução dos planos de governo.

Outro ponto ressaltado está nas parcerias já existentes, tais como os projetos de Cisternas desenvolvidos pela Cáritas Diocesana, para o enfrentamento da escassez de água em alguns municípios, e a Fazenda da Esperança, em Mauriti, no acompanhamento de dependentes químicos. O bispo coadjutor também acredita na possibilidade de convênios com as prefeituras para que estas parcerias possam crescer ainda mais.

O encontro com os prefeitos também contou com a participação de padres, religiosas e agentes de pastorais que, na ocasião, tiveram espaço para apresentar suas reinvindicações, entre elas o enfrentamento às drogas e à AIDS, o combate à violência contra a mulher, o saneamento ambiental, à coleta seletiva, dentre outros temas.

As cidades participantes foram Abaiara, Assaré, Barbalha, Brejo Santo, Campos Sales, Caririaçu, Crato, Farias Brito, Granjeiro, Ipaumirim, Jardim, Jati, Juazeiro do Norte, Mauriti, Milagres, Nova Olinda, Penaforte, Porteiras, Potengi, Salitre, Santana do Cariri e Tarrafas. ( com informações do jornalista Amaury Alencar)

Zeudir Queiroz