MPF pede suspensão de eventos que gerem aglomeração durante visita de Bolsonaro ao Ceará

O órgão emitiu uma série de recomendações ao Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) e às prefeituras de Fortaleza, Horizonte e Tianguá – cidades por onde Bolsonaro irá passar – para evitar aglomerações

(Foto: Blog do Farias Junior)

O Ministério Público Federal (MPF) está preocupado com os efeitos negativos que a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Ceará, marcada para a manhã desta sexta-feira, 26, possa provocar em termos de saúde pública, tendo em vista o contexto grave de pandemia. Por isso, emitiu uma série de recomendações ao Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) e às prefeituras de Fortaleza, Horizonte e Tianguá – cidades por onde Bolsonaro irá passar – para evitar aglomerações. O órgão chega a pedir a suspensão dos eventos que possam atrair grade quantidade de pessoas.

Esse tipo de temor leva em consideração o comportamento habitual do chefe do Executivo quando participa de eventos públicos. Na última vez em que esteve no Ceará, na cidade de Missão Velha, em setembro do ano passado, ele ignorou as orientações sanitárias, provocando aglomerações. Além disso, o presidente não usou máscaras e cumprimentou apoiadores.

O MPF argumenta que o Ceará “vive momento crítico na pandemia da Covid, com aumento no número de casos e de mortes e com a circulação de novas variantes do coronavírus”. Lembra ainda que “foram adotas medidas preventivas que proíbem a realização de quaisquer festas ou eventos comemorativos, em ambientes aberto ou fechados, públicos ou privados, seja de qual for a iniciativa”.

Foi esse, inclusive, o motivo destacado pelo governador Camilo Santana (PT) para não participar dos eventos de inauguração de obras e assinatura de ordens de serviço ao lado de Jair Bolsonaro. Na visão do petista, a vista é “um grande equívoco”. Vale lembrar que o Governo do Estado adotou medidas mais rígidas no combate à pandemia como o toque de recolher das 22h às 5 horas manhã. Além disso, duas cidades estão em lockdown: Santa Quitéria e Mombaça.

Sobre a recomendação MPF-CE, ela é assinada por cinco procuradores da República, e pede que sejam suspensos quaisquer eventos que provoquem aglomeração de pessoas. “Os números da pandemia em todo estado inspiram atenção redobrada, permanecendo o isolamento social como política pública mais eficiente e indispensável no combate à disseminação do vírus”, destaca o órgão.

Fonte: https://www.opovo.com.br/