Transporte alternativo de Fortaleza deve entrar em greve à meia-noite desta quinta-feira

Os trabalhadores do sistema de transporte alternativo de Fortaleza prometem paralisar 70% da frota a partir da meia-noite desta quinta-feira (27), segundo informou o presidente do Sindicato dos Empregados em Transporte Alternativo de Fortaleza (Sintraafor), Valdenio Aguiar.

Foto: Natasha Mota

A categoria reivindica que a Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará (Cootraps) – vencedora da licitação para exploração e prestação de serviço de transporte alternativo urbano – assine todas as 1.300 carteiras dos trabalhadores. Segundo o presidente do Sintraafor, só 30% dos documentos trabalhistas atualmente são assinados e a Cootraps estaria querendo fechar convenção coletiva com a categoria de trabalhadores sem a assinatura de todos os documentos.

Outro ponto divergente entre o Sintraafor e o SindVans, atual sindicato patronal, é o salário. Os motoristas recebem R$ 891, fiscais R$ 672 e cobradores R$ 663. O Sintraafor defende um aumento para R$ 1.050, R$ 792 e R$ 782, respectivamente. O SindVans teria oferecido um reajuste de 7,5%, que não foi aceito pela categoria.

“Os motoristas e cobradores de ônibus ganham muito mais. Nosso salário está muito defasado”, denfendeu Aguiar.

A paralisação também é motivada pela reivindicação de redução na carga horária. Segundo o presidente do Sintraafor, os motoristas e cobradores chegam a rodar acima de 18 horas seguidas. O sindicato pretende estipular a carga máxima em 7h30.

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) afirmou que não foi notificada oficialmente sobre a paralisação, mas que vai intensificar o monitoramento das vans e ônibus para reforçar a frota de transporte com ônibus extra caso seja necessário.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com o Cootraps e com o SindVans até o momento da publicação.

Do Diário do Nordeste

Zeudir Queiroz