Paralisação no Terminal do Papicu causa revolta em usuários de ônibus

Quem precisou passar pelo terminal do Papicu na manhã desta segunda-feira (10) viveu momentos de transtorno. Por volta das 10h,motoristas e cobradores paralisaram as atividades, deixando vários usuários a pé antes que chegassem ao seu destino.

Manifestação pegou os passageiros se surpresa na manhã desta segunda (10) FOTO: Wilson Medeiros

O cenário no local era de ônibus estacionados, motoristas e cobradores de braços cruzados e passageiros revoltados descendo dos veículos. A cuidadora de idosos Daiana Silva estava a caminho do seu trabalho, no Rodolfo Teófilo, quando foi surpreendida pela manifestação. “Eu cheguei aqui às 9h40 e até agora nada, estou aqui empacada. Essa paralisação é ridícula. O serviço é horrível, tem motoristas que são grossos, estúpidos, não param pra ninguém; os ônibus são horríveis e a gente tem que pagar pra ficar aqui no terminal olhando para o tempo. É um absurdo”, desabafou.

O aposentado Salustiano Pereira tinha ido a um banco próximo ao terminal e esperava o fim da manifestação para voltar para sua casa, na Praia do Futuro. “Eu cheguei aqui há 1 hora. O ônibus não entrou nem no terminal. Parou lá fora e pediu pra que a gente viesse até aqui a entrada do terminal e aguardasse. Aqui todo mundo mundo tem o que fazer. Isso é uma grande covardia com o povo, porque a gente não tem culpa de nada que acontece com eles”, disse.

A dona-de-casa Maria Ozimeire estava com sua filha, uma criança de colo portadora de necessidades especiais, no Hospital Geral de Fortaleza. Sem conseguir pegar um ônibus, foi a pé para o terminal do Papicu e encontrou toda a frota parada. “Eu acho isso uma falta de respeito. Era pelo menos pra eles (manifestantes) avisarem. Eu saí de casa, às 15 pras 6 da manhã. O tratamento dela (filha) terminou às 10h. Disseram que não tinha ônibus e nós tivemos de vir a pé”, reclamou.

Paralisação deveria durar 40 minutos

A paralisação era para durar cerca de 40 minutos, mas de acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro/CE), Sérgio Barbosa, os motoristas, em assembleia, decidiram prorrogar a manifestação por mais 1 hora e 20 minutos.

Sérgio disse ainda que a paralisação foi para que o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará  (Sindionibus) volte à mesa de negociação com a categoria. “Eles fizeram uma proposta e a gente fez uma contra-proposta. Eles nos fizeram uma nova proposta e a categoria, em assembleia, rejeitou. Eles (Sindionibus) simplesmente se retiraram da mesa de negociação. Essa paralisação é para que o Sindionibus volte a negociar”, afirmou. Ainda de acordo com o sindicalista, cerca de 120 ônibus foram afetados pela menifestação.

Segundo o Tenente Leonardo, do Comando Tático Motorizado (Cotam), nenhum pneu de ônibus foi esvaziado e não houve vandalismo contra os veículos. “Apenas um ônibus teve o pneu esvaziado, mas de acordo com informações que recebi foi algo fortuito, não foi provocado por nenhum manistante”, explicou.

Por volta do meio-dia, os motoristas foram retomando suas atividades e os ônibus voltaram a circular.

Fonte: Diário do Nordeste

Zeudir Queiroz