Hospital da Mulher e Ginásio Aécio de Borba podem ser pontos de vacinação contra a Covid-19 em Fortaleza

O Hospital da Mulher e o Ginásio Aécio de Borba, nos bairros Jóquei Clube e Benfica, podem ser pontos de vacinação contra a Covid-19 em Fortaleza. Os locais foram visitados pelo prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, na manhã desta segunda-feira (4).

De acordo com o prefeito, dependendo do imunizante a ser liberado oficialmente, é preciso estabelecer planos alternativos, já que cada um tem particularidades de aplicação e armazenamento.

“A gente está acompanhando, vendo quais são os planos alternativos para, preventivamente, antes de saber qual vacina vem, a gente já procura estabelecer estratégias, de A a Z”, afirmou.

Sarto esclareceu que no Hospital da Mulher existe uma ampla área com alas separadas para pacientes com Covid-19 e para outros tipos de atendimento. “O ingresso (de pacientes) é feito de maneira isolada. E tem uma área física que daria para fazer uma estrutura de vacinação, a depender da vacina, sem atrapalhar o cotidiano do hospital”, explicou.

Plano de vacinação no Ceará

 

Trabalhadores da saúde e pessoas com mais de 75 anos devem ser os primeiros a receber a vacina contra a Covid-19 no Ceará, quando o imunizante estiver disponível, segundo o chamado “Plano de Operacionalização para a Vacinação contra a Covid-19”.

Apesar disso, até o início de dezembro, o documento ainda não havia sido apresentado oficialmente pelo Governo do Ceará. Com isso, ainda não há definição de quando a vacina estará disponível e os grupos prioritários ainda podem sofrer mudanças.

Ainda no início de dezembro, o governador Camilo Santana afirmou estar negociando com o Butantan para adquirir a CoronaVac para a população cearense “o mais rápido possível”. (Veja detalhes da negociação abaixo.)

Os grupos prioritários serão vacinados em quatro fases e terão 1.794.076 de cearenses. A meta é imunizar pelo menos 95% desse público-alvo.

  • Primeira fase: trabalhadores da saúde, idosos a partir de 75 anos, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena.
  • Segunda fase: pessoas de 60 a 74 anos.
  • Terceira fase: pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras);
  • Quarta fase: professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

O documento prévio diz ainda que serão necessárias mais de 4,4 milhões vacinas que serão aplicadas em duas doses. O governo do estado deve adquirir 147 câmaras refrigeradas que serão destinadas aos municípios cearenses com até 100 mil habitantes. Outros 22 equipamentos de refrigeração irão para cidades acima de 100 mil habitantes.

Fonte: https://g1.globo.com/ce/

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.