Governadora Izolda Cela anuncia desfiliação do PDT no Ceará após não ser escolhida como candidata à reeleição

 Foto: Governo do Ceará

A governadora do Ceará, Izolda Cela, anunciou, na tarde desta terça-feira (26), que vai se desfiliar do PDT. O anúncio acontece após reunião do partido que definiu o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, como candidato ao governo.

A atual chefe do Executivo estadual era apoiada pelo ex-governador Camilo Santana (PT). Roberto Cláudio, por sua vez, era o favorito do candidato à presidência, Ciro Gomes (PDT). A vitória de Roberto Cláudio, na convenção interna do PDT, culminou no rompimento da aliança mantida entre PT e PDT no Ceará. O PT, inclusive, decidiu lançar um candidato próprio ao governo, o deputado estadual licenciado Elmano de Freitas

Por meio das redes sociais, a governadora informou sobre a decisão. “Temos hoje, através de legítima decisão dos partidos que têm ajudado a construir esse projeto em prol do Ceará, duas candidaturas lançadas ao Governo do Estado. Poderíamos já estar todos unidos contra o fascismo, a intolerância e o ódio”, disse Izolda.

“Defendi isso desde o início, juntamente com Cid, Camilo e tantos outros. Diante desta nova realidade, e respeitando as decisões tomadas, anuncio o meu pedido de desfiliação do PDT. Sigo com determinação para cumprir esta honrosa tarefa no comando do Governo do Estado pedindo sempre as bênçãos de Deus para fazer o melhor para os cearenses”, complementou a governadora.

Entenda o rompimento entre PT e PDT no Ceará após escolha de candidato ao governo

A noite do último domingo (24) foi agitada no cenário político do Ceará. O ex-governador Camilo Santana anunciou, por meio das redes sociais, candidatura de Elmano de Freitas, do mesmo partido, para o governo do estado. O ato foi de encontro ao esperado pelo maior aliado do ex-gestor estadual, Ciro Gomes, e incluiu um novo capítulo na história das duas lideranças na política cearense.

Isso porque Camilo e Ciro foram aliados históricos no Ceará na última década, o que levou, inclusive, Camilo ao executivo do estado antes de o representante da família Ferreira Gomes entrar no PDT.

No entanto, o agora pré-candidato ao Senado Federal pelo PT apoiava o nome da atual governadora, Izolda Cela, para o governo do estado, enquanto o pré-candidato à presidência apoia o ex-prefeito de Fortaleza. Este foi oficializado, neste domingo, como candidato do partido para o cargo.

A governadora Izolda Cela, que assumiu o cargo após renúncia de Camilo Santana, buscava se candidatar à reeleição, mas não foi aprovada pelo partido. O nome de Roberto Cláudio foi escolhido no último dia 18, em reunião do diretório do PDT no estado.

Na ocasião, houve votação para escolha do pré-candidato, e Izolda perdeu para o ex-prefeito da capital por 29 contra 54 votos. Além de Ciro, Roberto Cláudio contava com o apoio do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e do atual prefeito de Fortaleza, José Sarto.

Izolda, apoiada por Camilo, era preferida pelo senador e ex-governador do Ceará, Cid Gomes. Além disso, os partidos PT, MDB, PP, PV e PC do B se manifestaram a favor da candidatura da atual gestora estadual.

Relações estremecidas

A relação entre as lideranças políticas do PT e do PDT, porém, já havia estremecido anos antes. Em 2012, Cid e Ciro Gomes — então no PSB — apoiaram o nome do deputado estadual Roberto Cláudio, no PSD à época, para a prefeitura de Fortaleza. A indicação foi descartada pela então prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), que apoiou o nome de Elmano para concorrer ao Paço Municipal.

Na corrida eleitoral, Elmano e Roberto Cláudio tiveram uma disputa acirrada no primeiro turno, mas o candidato do PSB saiu vitorioso na decisão do pleito. Tempos depois, Roberto Cláudio, Ciro e Cid, além dos aliados, transferiram-se ao Pros, passando a se relacionar com o PT novamente pelo governo estadual.

A coligação escolheu Camilo Santana em consenso, e o petista, então, concorreu nas eleições de 2014. Assim, a chapa venceu a disputa pelo Palácio da Abolição contra o candidato Eunício Oliveira (MDB), alçando Camilo como uma potência política estadual.

Eleições 2016

Nas eleições seguintes para a prefeitura da capital, Roberto Cláudio — já no PDT, assim como os irmãos Ferreira Gomes — tentou a reeleição para o cargo. A disputa pela gestão do município teve, ainda, participação da ex-prefeitura Luizianne Lins, que acabou derrotada: ela saiu em 3º lugar, atrás de Capitão Wagner (PR).

Apesar de estar no governo do estado apoiado pelos irmãos Ferreira Gomes, Camilo Santana adotou tom neutro durante a campanha para a prefeitura daquele ano. O apoio mais incisivo ocorreu quando Roberto Cláudio passou para o segundo turno.

Fonte: https://g1.globo.com/

 

Zeudir Queiroz