Fortaleza tem 10 bairros no topo de casos de Covid-19 desde junho

Covid-19 — Foto: Helene Santos/Sistema Verdes Mares

Dez bairros de Fortaleza concentram, desde junho, o maior volume de casos de Covid-19. Segundo levantamento do G1 com base nos boletins epidemiológicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Aldeota, Barra do Ceará, Bom Jardim, Centro, Conjunto Ceará I, Jangurussu, Meireles, Messejana, Mondubim e Passaré lideram há cinco meses os registros.

Os dados analisados contemplam os boletins dos dias 22 de abril, 19 de junho, 14 de agosto, 16 de outubro e 13 de novembro. Até o último mapeamento, Messejana era o bairro com o maior número de infectados, com 2.031 casos.

Na sequência aparecem Meireles (2.023), Aldeota (1.828), Barra do Ceará (1.297), Centro (1.067), Mondubim(1.001), Jangurussu (921), Conjunto Ceará I (908), Passaré (891) e Bom Jardim (855).

A SMS foi procurada pela reportagem do G1 para repercutir o levantamento de casos por bairro, mas não deu retorno até a publicação desta matéria.

Moradora da Aldeota, a servidora pública aposentada, Liduína Elizabeth Angelim Gomes da Silva, 63, recebeu o diagnóstico de Covid-19 em setembro, acreditando ter sido contaminada pelo marido, que testou positivo no mês anterior. Liduína precisou ficar sete dias hospitalizada.

“Eu fiquei muito frágil. A doença, além da coisa física, abala muito o emocional. Tive muito medo de morrer, de ficar entubada. Eu não dormia. Mas me recuperei, vim para casa e fui melhorando”, lembra.

Para o professor do Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Carlos Henrique Alencar, a movimentação intensa de pessoas nas ruas após a flexibilização dos serviços exige ações de controle, o que ele avalia como um desafio para a gestão municipal.

“Em áreas com baixa transmissão, as pessoas naturalmente se sentem protegidas e acabam por não usarem as medidas de prevenção de forma correta. Passam a não usar máscaras faciais, esquecem de lavar as mãos periodicamente ou mesmo fazem contato direto com outras pessoas, fazendo com que haja uma facilidade maior para a transmissão do vírus”, afirma.

Fonte: https://g1.globo.com/ce/

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.