Família da jovem que morreu no Terminal do Siqueira alega não receber assistência do Sindiônibus

Foto: Reprodução/ Prefeitura de Fortaleza

Parentes de Maria Joyciane Ferreira da Silva, de 20 anos, que morreu prensada no Terminal do Siqueira no último sábado (21), alegam ainda não ter recebido nenhuma assistência do Sindicato das Empresas de Transporte (Sindiônibus) ou da empresa responsável pelo ônibus em que a jovem estava.

O Sindicato das Empresas de Transporte (Sindiônibus) lamentou o ocorrido em uma nota oficial, mas transferiu a tarefa de assistir aos parentes da vítima para a Socicam, que realiza a gestão de terminais de passageiros. Além do Sindicato, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) também divulgou uma nota de pesar.

A mãe da vítima questionou a conduta do motorista e pediu que ele fosse afastado do cargo. Segundo ela, o ônibus não “precisa passar rasgando aquela grade, e ele passou rasgando, machucando ela. Por que ele não parou? Ela é um ser humano”.

Maria Joyciane trabalhava como atendente de telemarketing e sonhava em concluir o curso de enfermagem. No momento do acidente, ela estava retornando do trabalho e se dirigia à casa do pai, em Maranguape.

Fonte: https://oestadoce.com.br/

Zeudir Queiroz