Falta de água volta a afligir a população do CE

Moradores de vários bairros de Fortaleza, assim como de locais de Caucaia, continuam com dificuldades

Depois de quase uma semana sem falta d´água, mais uma vez, moradores do Parque Albano e Araturi, no município de Caucaia, ontem, acordaram sem água nas torneiras. Além desses locais, moradores das Goiabeiras, na Barra do Ceará e, da comunidade Jagatá, no Conjunto Palmeiras, também foram atingidos com o problema.

Moradores das Goiabeiras, na Barra do Ceará, estão usando uma bomba d´água, disponibilizada por uma vizinha, para as tarefas domésticas FOTO: MARÍLIA CAMELO

No bairro Goiabeiras, por exemplo, a falta d´água tem se tornado mais frequente nos meses de novembro e dezembro. De acordo com a dona de casa Marilene Lopes Vieira, nas últimas quatro semanas, não subiu água para a sua casa, localizada no morro das Goiabeiras, na Barra do Ceará. “Tenho que descer até a Rua Pery, sozinha, porque não tenho quem me ajude, para pegar dois baldes de água para mim e meus filhos. É graças à caridade dos donos dessa casa que eu também tenho água para lavar roupas”, explica.

A bomba de água ligada a um poço a que Marilena se refere é propriedade da família do copeiro Paulo Sérgio Santos e foi consertada há uma semana. “Aqui não tem chafariz e por mais que seja longe, eu me obrigo a vir, senão fico sem água”, diz.

Já no Araturi, em Caucaia, há cerca de uma semana, os moradores não tinham o fornecimento de água interrompido, mas foram surpreendidos mais uma vez nesta sexta-feira. Para a aposentada Lucy Ferreira, já é rotina deixar baldes e panelas cheias em casa. “Por mais que tivesse água, eu nunca deixei de guardar água. Afinal, a gente nunca sabe quando vai faltar”, afirma.

A lavadeira Jane Silva instalou mais uma caixa d´água em casa para evitar ficar sem água, fundamental para o seu trabalho. “Divido uma caixa com meus vizinhos, mas, há três dias, instalei uma individual porque não posso ficar sem água, senão perco meus clientes”.

A casa da analista de crédito Nayara Nascimento, na comunidade Jagatá, no Conjunto Palmeiras, também amanheceu sem água, o que tem se tornado frequente nos últimos meses. “A gente sempre armazena água nos baldes com tampa, assim como panelas e na pia, porque como aqui tem muito mosquito, corremos o risco de eles contaminarem a água se deixarmos as vasilhas descobertas”, conta.

Além disso, o Diário do Nordeste online lançou nova enquete questionando onde ainda há falta de água e 11 locais foram identificados.

Punição

De acordo com o coordenador de saneamento básico da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce), Alceu Galvão, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) tem até o dia 25 de dezembro para normalizar a distribuição de água em Caucaia, município atingido com a queda de pressão que ocorreu principalmente nos últimos seis meses, devido ao crescimento populacional da cidade.

Caso o problema não seja resolvido no prazo, a Arce poderá mover um processo administrativo contra a Cagece ou instaurar um Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta (TAC).

A assessoria de imprensa da Cagece informa que os bairros Araturi e Parque Albano, em Caucaia, sofrem com baixa pressão na rede, por se tratar de ponta de rede. Sobre a reclamação da Rua Pery, no bairro Goiabeiras, a Cagece informa que foi verificada a presença de ferrugem na água e para solucionar, a equipe realizou descargas na rede para retirar todas as impurezas.

Sobre a reclamação de falta de água, no Conjunto Palmeiras, na Rua Sidney Rossi, na comunidade Jagatá, a Cagece não atendeu porque o local é área de ocupação irregular.

Estado ficará abastecido por 30 anos, diz Cid Gomes

Com a inauguração da nova Estação de Tratamento de Água Oeste, a irregularidade no abastecimento de água da Capital e da Região Metropolitana de Fortaleza será resolvida pelos próximos trinta anos, garante o governador Cid Gomes, em entrevista ao Diário do Nordeste na manhã desta sexta-feira. “Em toda a história do Ceará a distribuição de água sempre foi de dez mil litros por segundo. Mas iremos aumentar mais cinco mil litros por segundo, e a primeira parte vai funcionar a partir do dia 24 de dezembro”, anuncia.

O governador ainda pediu desculpas novamente à população pelo transtorno. “Eu já pedi desculpas e vou pedir desculpas muitas vezes porque eu já vivi essa situação, de abrir a torneira do chuveiro e não ter água. Isso estraga o dia da pessoa”, diz.

A partir da inauguração da Estação de Tratamento de Água Oeste, segundo o governador Cid Gomes, mais 700 litros serão acrescentados ao fornecimento de água para a cidade. “Passaremos para 10 mil e 700 litros no dia 24 de dezembro e depois, a cada 15 dias estaremos aumentando esse fornecimento, e até maio teremos normalizada a oferta de água tratada. Isso vai resolver todos os problemas? De oferta, sim. Mas na nossa rede ainda há locais em que os canos são de amianto e tem mais de 40 anos e isso dá problema, estoura e para isso temos que desligar a rede para consertar”, explica

KELLY GARCIA
REPÓRTER

Do Diário do Nordeste

Zeudir Queiroz